O papel das universidades na saúde pública

O papel das universidades na saúde pública

Muito tem-se falado das universidades públicas e o que elas têm feito em prol do país, ou seja, o que e como ela devolve o investimento que é feito nela. Durante o período da pandemia que vivemos esta pressão sobre a comunidade científica apenas aumentou principalmente em relação às áreas diretamente ligadas à saúde pública, dito isto, é preciso ressaltar o que é a universidade pública e qual a sua importância.

Essencialmente, as universidades públicas são instituições de ensino superior mantidas financeiramente pelo estado e que, por isso, têm o interesse público e coletivo como característica principal como já citado acima.

Quando falamos de ensino superior é preciso distinguir as suas terminologias: universidade, centro universitário e faculdade, dentre estas a única que abrange todas as áreas do conhecimento humano, no caso, desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão de maneira integral é a universidade pública.

Biblioteca universitária

No Brasil, as instituições públicas são conhecidas principalmente pelo processo seletivo concorrido, o vestibular, e pela gratuidade na oferta de um ensino e elas são distribuídas da seguinte forma:

  • Universidades Federais, que estão espalhadas pelas 27 unidades federativas;
  • Universidades Estaduais, que são mantidas pelos governos estaduais e estão presentes em quase todos os estados;
  • Universidades Municipais, que são de responsabilidade administrativa do poder público municipal, sendo que São Paulo é o estado com o maior número de instituições;

Já a importância das universidades públicas está relacionada com os pilares da educação superior, que são três: ensino, pesquisa e extensão.

Enquanto o ensino cuida de tudo relacionado com as práticas e conteúdo da sala de aula, a pesquisa é responsável pela produção de conhecimento por meio de incentivos à inovação científica.

O relatório “Research in Brazil”, produzido pela Clarivate Analytics e encomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), aponta que o país ocupa a 13ª posição no ranking mundial, com uma produção de 250 mil artigos científicos no período analisado, se destacando pela qualidade nas pesquisas.

No que diz respeito à extensão, muitas universidades públicas administram hospitais universitários, que oferecem atendimento exclusivo para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que será tratado mais abaixo neste artigo.

Universidades Públicas e seu retorno para a sociedade, um viés importante.

É impossível falar do papel das Universidades públicas dentro das implicações da saúde, sem falar do Hospital das Clínicas, também conhecido carinhosamente como HC. O HC é constituído por um conjunto de prédios hospitalares, dos quais são localizados na cidade de São Paulo, o hospital opera sob administração da USP (Universidade de São Paulo).

O intuito do hospital é ensinar, gerar insumos para pesquisa e acima de tudo, prestar serviços e ações destinadas à sociedade em geral. O HC atua em escopos que variam desde a prevenção de doenças, também atua em doenças mais complexas e em reabilitações de indivíduos que sofreram sequelas ocasionadas por doenças.

Médica anestesista

Ao longo dos últimos meses, dos quais a complexidade da pandemia acabou por se expandir, o papel do Hospital das Clínicas foi inestimável na saúde pública, desde março de 2020, o HC vem acolhendo pacientes diagnosticados com COVID em estado grave. E desde aquela época, o hospital não deixou de gerar o retorno para a sociedade: 700 leitos de enfermagem e 200 leitos de UTI foram disponibilizados para atender as vítimas de média e alta gravidade e com o decorrer da expansão da pandemia, os leitos saltaram para 300 dentro da UTI. 

Graças aos esforços conjuntos das Universidades públicas, é possível ver retornos como os quais dos hospitais vinculados a diferentes campuses, USP, UNESP, UFSCar e diferentes universidades dentro do Estado de São Paulo, vem realizando diferentes esforços tanto em pesquisa, como também para gerar todo o retorno possível para a saúde pública, beneficiando ao máximo indivíduos nas mais diferentes regionalidades.  

Cirurgia em hospital universitario

A Universidade, em toda sua extensão, também contribui diretamente no combate da pandemia.

Entretanto, não são apenas os cursos de medicina que contribuíram para a saúde pública, durante o período da pandemia. Em Araraquara, cursos como Farmácia-Bioquímica e o curso de Química fizeram contribuições dentro das suas respectivas áreas.

A Faculdade de Farmácia, por exemplo, ainda no começo da pandemia, já realizava exames para diagnosticar a Covid-19 na região, sendo que essas testagens eram feitas pelo laboratório da própria universidade que havia sido credenciado pelo Ministério da Saúde.

Investimento em saúde pública

Já o Instituto de Química, produziu álcool em gel a partir de uísques que haviam sido apreendidos pela Receita Federal. Estes produtos seriam descartados, contudo, foram oferecidos à universidade com o intuito de serem reutilizados para um material benéfico à saúde pública.

O processo de transformação não dura nem 10 minutos, e embora este álcool em gel em particular possua tonalidade e um leve cheiro da bebida, possui a mesma eficiência que qualquer outro comercializado atualmente.

Álcool em gel

Ainda falando do Instituto de Química, o mesmo integra uma rede solidária, com ajuda de alunos, professores e pesquisadores voluntários, para a produção de álcool em gel, a partir de doação de álcool puro por usinas e postos de combustíveis, e distribuição gratuita para entidades sociais, tendo produzido e doado até o mês de agosto de 2020, 540 litros de álcool em gel.

Educação, como uma importante ferramenta no combate ao vírus. 

Ainda existem contribuições muito significativas das Universidades, principalmente na utilização da educação. Projetos de extensão conseguem explicar e realizar amplas divulgações científicas, contribuindo para a melhor compreensão da população sobre temas que, nem sempre, são de fácil acesso para indivíduos que têm pouco conhecimento em áreas específicas.

Poder da educação

Por meio da capacitação, podemos citar como exemplo a Química Jr, que durante seus vinte e oito anos de atuação, sofre forte influência de tudo o que acontece dentro do Instituto de Química da UNESP de Araraquara, se adaptando às necessidades do público e atuando de forma assertiva com os pequenos e médios produtores, principalmente durante a pandemia, aonde o manual de boas práticas e prevenção, foi um produto utilizado para conduzir como restaurantes e condomínios poderiam estar combatendo efetivamente a pandemia e mitigando o contágio da melhor forma possível.

Isso apenas ocorre graças a união da pesquisa científica, do corpo docente, dos alunos e gerado para a sociedade, assim, um retorno, sem fins lucrativos das Universidades públicas para todos os âmbitos da sociedade, de forma a contribuir em crises, como a que enfrentamos agora, na saúde pública por conta do covid e também de forma geral nas mais diversas áreas da educação e conhecimento. E é desta forma que é possível ver o papel pivotal da universidade pública e de seu ensino, no combate a doenças, pandemias e a desinformação.

Quer conhecer mais sobre a UNESP e a Química Jr?

A química júnior também contribuiu com a saúde pública com um projeto focado em ajudar os centros comercias no auge da pandemia, confira a matéria da EPTV sobre nosso projeto ou acesse nosso texto.

A UNESP publica diversas inovações cientificas no seu site oficial aqui.

Se quiser ver outros projetos da Química júnior, aqui temos uns interessantes: Programa 5S: uma solução para seu home office, Marketing Verde: o Futuro do Mercado.

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Últimos Artigos