Meio Ambiente e Vida Sustentável

Copaíba: Em defesa da Mata Atlântica

Falar sobre a Mata Atlântica se faz essencial em tempos de desmatamento, mas você conhece sua história? Sabia que existem ONGs que ajudam a preservar esse bioma no Brasil? A Copaíba é uma delas, confira já no texto dessa semana mais a respeito sobre a Copaíba e sua história com a Mata Atlântica.

Mas antes, que tal baixar um conteúdo completo sobre o Carbono Neutro totalmente de graça? Clique aqui, cadastre-se e baixe já o seu!

Mata Atlântica: História e Importância

A mata atlântica é um dos grandes biomas brasileiros, juntamente com a Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pantanal e Pampa, é uma das florestas mais ricas em diversidade do planeta. 

Essa floresta abrange cerca de 15% do território nacional, em 17 estados, é o lar de 72% da população brasileira, abriga três dos maiores centros urbanos do continente sul americano e concentra 70% do PIB. A Mata possibilita atividades essenciais para a população, como o abastecimento de água, a agricultura, a pesca, a geração de energia elétrica, o turismo e o lazer.

Explorada desde a época da colonização pela extração do Pau-Brasil e, depois, pelo cultivo de monoculturas como o café e a cana de açúcar, a Mata Atlântica se reduz hoje, a apenas, 12,5% da sua cobertura original. 

Com isso, cerca de 261 espécies de mamíferos, 1020 de pássaros, 197 espécies de répteis, 340 de anfíbios, 350 de peixes e cerca de 20 mil espécies vegetais, estão seriamente ameaçadas. Sem contar que a grande maioria dessas espécies são endêmicas, ou seja, só existem aqui.

Um dos maiores benefícios associados à biodiversidade é a flexibilidade. Um grande número de espécies diferentes representa mais chances de sobreviver a mudanças, uma vez que a quantidade de indivíduos aumenta ou diminui de acordo com as demandas ambientais. A biodiversidade também ajuda a tornar as populações naturais mais fortes e saudáveis, promovendo os melhores indivíduos por meio da concorrência e predação.

Dessa forma, com a ameaça iminente à mata atlântica, não só precisamos nos preocupar com o avanço do aquecimento global, como também com a extinção de todas as espécies de fauna e flora, presentes nesse bioma, tudo isso pensando no desenvolvimento sustentável do nosso planeta.

Por que recuperar a mata atlântica?

Quando falamos de restauração dos ecossistemas a mata atlântica se destaca como uma prioridade na restauração. Segundo um estudo publicado pela revista Nature, a restauração de 15% de sua área evitaria 60% da extinção de espécies previstas, bem como teria um impacto significativo quanto ao sequestro de carbono.

O Acordo de Paris determina uma meta de 1,5°C de aquecimento global até o fim do século 21, uma das maiores contribuições para conseguirmos atingir essa meta está ligada diretamente com acabar com o desmatamento e a restauração de ecossistemas.

A mata atlântica também é um dos maiores locais para a preservação da biodiversidade no mundo, contendo mais de 20 mil espécies, incluindo a maior biodiversidade de árvores do planeta, além de 384 espécies de mamíferos e 1.025 de aves, sem contar que ainda hoje novas espécies continuam a serem descobertas.

Um fator alarmante é que apenas 13% de sua extensão é protegida por unidades de conservação, em alguns locais ainda apenas 1% da vegetação remanescente é protegida. A mata atlântica apesar de ser o bioma mais ameaçado do Brasil, desde 1990 perdemos mais de 5 milhões de hectares.

Fica claro a importância desse bioma para o nosso país, a mata atlântica deve ser preservada e sua restauração poderá ter um impacto extremamente positivo para a biodiversidade e a sustentabilidade ambiental do nosso país como um todo.

Como contribuir para a recuperação da mata atlântica?

Para a recuperação da mata atlântica é importante ressaltar que podemos cada um realizar sua parte com o plantio de árvores nativas nas regiões ameaçadas, aumentando assim sua área de floresta. Pode parecer pouco, mas cada pedacinho restaurado pode causar um impacto positivo para a recuperação desse nosso bioma ameaçado.

Buscando uma solução mais especializada e se não há área adequadas de plantio em suas localidades, a melhor ideia é entrar em contato com uma ong especializada em realizar plantios nesse bioma, dessa maneira você assegura que o plantio será realizado de maneira correta e eficaz.

O caso da Copaíba por exemplo pode ser citado, lá você terá certeza que apoiando esse projeto o plantio será realizado em áreas já de restauração e ainda receberá um relatório que mostra a evolução desse plantio e dessa área de restauração.

Copaíba

A Copaíba nasceu de um sonho quase ingênuo de reflorestar as margens de um rio. Como uma semente plantada, o sonho cresceu e hoje atua no reflorestamento de córregos, nascentes e rios de vários municípios e ainda vai fazer muito mais.

A Copaíba foi fundada em 1999 por um grupo de amigos que, percebendo a degradação da Mata Atlântica no município de Socorro-SP, resolveu agir e trabalhar com a restauração de matas ciliares, inicialmente, do Rio do Peixe. A primeira ação do grupo foi modesta: um plantio de 80 mudas em uma área às margens do Rio do Peixe em Socorro. A mão de obra ficou sob a responsabilidade de voluntários.

O ano de 2005 representa um marco na história da instituição: a mudança do Viveiro para uma sede própria em sistema de comodato com outra instituição de Socorro. Com a mudança, as ações foram ampliadas e a bacia do rio Camanducaia também passou a fazer parte dos projetos de restauração florestal.

Além dos trabalhos de produção de mudas e de recuperação de áreas degradadas, a Copaíba realiza atividades de sensibilização ambiental voltada para diferentes públicos, de estudantes das redes de ensino público e privada das cidades das duas bacias aos proprietários de terra parceiros dos trabalhos de plantio de mudas.

A Copaíba tem como missão conservar e restaurar a mata atlântica nas bacias do rio peixe e camanducaia, atuando hoje em 13 municípios da região leste do Estado de São Paulo e sul de Minas Gerais. São eles: Amparo, Águas de Lindóia, Lindóia, Itapira, Monte Alegre do Sul, Pedra Bela, Pinhalzinho, Socorro, Serra Negra, Bueno Brandão, Munhoz, Toledo e Monte Sião.

Copaíba e a Química Jr.

Pensando em tudo o que já foi citado acima, a Química Jr. percebeu o alinhamento entre as visões das empresas, uma vez que ambas possuem um grande sentimento de responsabilidade com o desenvolvimento sustentável do planeta como um todo. Esse alinhamento se torna mais evidente quando citamos o projeto carbono neutro.

O projeto carbono neutro, visa neutralizar a quantidade de carbono que a sua empresa ou evento emite diariamente, em um certo período de tempo, e então é realizado o plantio de mudas de árvores que converta esse valor em oxigênio, além de realizar uma aula de educação ambiental com crianças da rede pública, para que elas saibam como é importante cuidarmos do que temos hoje, para que tudo isso não acabe amanhã.

Através do Projeto Carbono Neutro, um ato tão pequeno como o plantio de uma muda pode ajudar muito o meio ambiente, ela não só neutraliza o carbono emitido pela sua empresa, como também passará anos emitindo O2 e ajudando a população daquela cidade, auxiliando no clima, na pureza e no frescor do ar, e deixando aquele local mais verde, certificando que, de fato, a empresa está contribuindo para o desenvolvimento sustentável de sua comunidade.

Para realizar o plantio, a Química Jr. passou então, a contar com o auxílio da Copaíba que além de realizar esta ação, também faz o controle da área onde serão plantadas as mudas, visto que até que essas mudas entrem em sua fase adulta elas estão sujeitas às ações climáticas e humanas, dessa forma, a Copaíba garante que elas terão todas as condições necessárias, para que cheguem nessa fase sem maiores problemas.