Possível reabertura do comércio? Saiba como se prevenir

Possível reabertura do comércio? Saiba como se prevenir

A chegada do COVID-19  pegou todos de surpresa e  fez o mundo parar. Dessa maneira, a economia que se via aquecida, esfriou totalmente. Quais passos nós devemos seguir para retomar a tão sonhada reabertura do comércio?                             

CONTEXTUALIZAÇÃO:

A pandemia causada pelo COVID-19 trouxe muitas preocupações, tanto sociais quanto econômicas. Dessa forma, tanto os comércios internacionais como também os nacionais estão procurando abrir de forma gradual setores comerciais para voltar a aquecer a economia. Mas, com essa reabertura econômica os lojistas terão que ter cuidado redobrado ao atender os seus clientes. Assim, toda a segurança será necessária, e um meio de contornar uma segunda infecção é seguir alguns passos, assim como alguns dos países europeus vêm seguindo, como:

– Manter distância de no mínimo 1 metro entre o comerciante e o cliente;

– Manter o lugar com uma ventilação natural, para maior segurança;

– Limpar, pelo menos, 2 vezes por dia o local;

– Utilizar álcool para desinfetar as máquinas de cartão;

– Uso obrigatório de EPI (Equipamento de proteção individual), máscaras, luvas, etc.

Higiene constante e uso de EPIs são essenciais durante a quarentena.

 

QUANDO O COMÉRCIO VAI REABRIR? 

É possível verificar que cada estado da federação desenvolveu sua metodologia para acompanhar quando e como seria o período mais efetivo para que ocorra a reabertura de seus comércios, tentando assim, mitigar e minimizar o impacto da pandemia do Coronavírus sobre a população brasileira.

é necessário avaliar o espalhamento da pandemia para entender a flexibilização

 

Alguns estados da federação já se encontram em um certo modelo de flexibilização da quarentena, para tentar conter os danos dos setores que têm maior vulnerabilidade econômica, tais quais como o comércio não essencial (bens de consumo e bens de produção, por exemplo).

Focando diretamente no Estado de São Paulo, é possível que o comércio comece a reabertura no dia primeiro de junho, de acordo com últimas declarações do governador João Doria a meios de comunicação (20/05 à Jovem Pan). A reabertura dos comércios do estado será, assim como todos os outros Estados da Federação que se encontram em flexibilização, gradual, produzido em fases e escalonada até que seja possível realmente retornar o comércio em seu amplo espectro como antes conhecemos.

Porém, embora o projeto de reabertura do comércio esteja sendo cuidadosamente analisado por inúmeros setores do governo do Estado, é necessário compreender que ainda nos encontramos sob ameaça completa de lockdown, devido a baixos índices de adesão da população sobre as medidas de isolamento social, que até o momento se encontram abaixo de 55%, de forma que não estão sendo eficientes o suficiente para conter a propagação da coronavírus.

Caso a quarentena não funcione, o lockdown irá acontecer.

 

Para gerar uma breve contextualizaçãolockdown é uma espécie de protocolo que pode ser adotado em momentos de crises emergenciais nos quais são desenvolvidos bloqueios ou confinamentos totais para certos setores (bairros, cidades ou até mesmo estados), para que assim, possa ser interrompido de forma plena e total o fluxo e tramitação de pessoas por uma respectiva área, e por um certo período de tempo.

Desta forma, embora tenha-se uma previsão de retorno para os setores privados do comércio, é necessário compreender que partes ainda são pautadas em plena especulação, devido ao fato das medidas de prevenção não estarem sendo seguidas à risca pela população. A data oficial mais próxima nos foi divulgada, porém é uma questão de esforço coletivo para que ela realmente seja posta em prática.

EM QUE SITUAÇÃO NÓS ESTAMOS? RISCOS DE ABRIR ANTES DA HORA

A maior preocupação é o aumento do contágio.

 

De acordo com a BBC News Brasil, nesta terça-feira (18/05/2020) o Brasil atingiu a marca de 254.220 casos de Coronavírus, se tornando o 3º país com mais infectados registrados no mundo. Portanto, estamos diante de um cenário extremamente delicado onde uma reabertura comercial antecipada e sem segurança, aumentaria ainda mais os casos em nosso país.

O principal risco de abrir antes da hora é justamente criar um cenário no qual o período de isolamento social não serviu para um propósito bem definido, de forma que previsões de vários especialistas confirmam que pode se estruturar um cenário estatístico totalmente anárquico no país, aumentando em mais a quantidade de contágios e consequentemente forçando o Estado a tomar medidas mais drásticas, como o lockdown que foi anteriormente trazido neste texto.

Assim, quando a permissão for dada, os lojistas brasileiros devem se inspirar nos comércios internacionais e efetuar uma reabertura gradativa e mais segura, respeitando todas as exigências sanitárias, de forma que seja plenamente possível evitar ao máximo qualquer tipo de comportamentos ou atitudes que auxiliem na proliferação do coronavírus, para que assim, seja possível adotar uma postura mais ampla sobre a abertura de certos setores comerciais.

VOLTEI A TRABALHAR, COMO ME PREVENIR??

é necessário seguir medidas de higiene e proteção para se prevenir contra o COVID-19

 

Levando em conta as necessidades da economia brasileira a FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) sugere uma reabertura considerando-se o grau de essencialidade do segmento com a finalidade de evitar uma segunda contaminação pelo coronavírus.

Recentemente a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou uma pequena cartilha com diversas recomendações e orientações para funcionários e empregadores para gerar um ambiente no qual a prevenção do COVID-19 seja algo de monitoramento constante, recomendações que vão desde a higiene na estação de trabalho dos funcionários, como a promoção da higiene respiratória de todos os indivíduos, esperando que, assim, seja possível realizar a abertura dos setores comerciais de forma a evitar ao máximo quaisquer possibilidades de contágio entre qualquer funcionário ou cliente.

Ainda será obrigatório utilizar todas as medidas protetivas e sanitárias no cotidiano.

 

Vários desafios serão sentidos nos próximos meses que a pandemia se encontra em nosso país, higiene e novos modos de operação são apenas um dos poucos, a retomada de processos e procedimentos mais seguros também serão etapas muito desafiadoras para qualquer empreendimento, e sabendo disso, nós da Química Júnior construímos um Manual de Boas Práticas de Prevenção, abreviado como BPP, para auxiliar neste atual cenário que nos encontramos.

É preciso repensar o modo de realizar entregas e se relacionar com clientes

 

A ideia do BPP é constituir um guia de prevenção para manutenção e limpeza contínua tanto dos equipamentos utilizados pela equipe do estabelecimento, como também em técnicas de interação e relacionamento com o consumidor, para que o contato entre os membros da sua empresa (sejam eles motoboys, entregadores, ou até mesmo caixas) evitem qualquer tipo relação direta com qualquer consumidor, minimizando ao máximo, qualquer chance de contágio.

Com o BPP seu comércio é mais seguro

 

Manual de Boas Práticas de Prevenção conta ainda com um guia que será enviado para os clientes, o qual oferece algumas instruções de como ele deve se portar ao receber a entrega em sua casa. Ademais, ao adquirir o nosso serviço de BPP, os funcionários e entregadores também recebem uma cartilha para auxiliá-los na prevenção contra o Coronavírus.

FICOU INTERESSADO?

Quer dar uma maior segurança para você, seus clientes e funcionários?? Trabalhamos com um projeto personalizado para você e sua empresa, de boas práticas de prevenção, que vão assegurar a segurança do seu negócio!! Entre em contato!!

Para mais informações sobre Boas Práticas de Prevenção acesse também a matéria: “Coronavírus: Boas Práticas de Prevenção no transporte público

Nos mande uma mensagem!!

WhatsApp
Telegram
Facebook
Twitter
LinkedIn

Últimos Artigos