Meio Ambiente e Vida Sustentável

Flores da Acácia: da educação à prática

Você conhece o projeto Flores da Acácia? Desenvolvido pelo Instituto de Química da UNESP Araraquara em parceria com a Cooperativa Acácia e a Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, ele vem com a ideia de melhorar o descarte e destino de resíduos sólidos gerados. Bora conhecer mais?

Mas antes de ler que tal baixar um E-book totalmente gratuito sobre o nosso projeto Carbono Neutro? Confira já acessando o link.

O projeto

O Projeto “Flores da Acácia” é um projeto de extensão presente na UNESP de Araraquara, que visa conscientizar sobre a importância de descartar corretamente cada resíduo, além de ajudar a entendermos os resíduos sólidos que são produzidos na Faculdade de Ciência e Letras (FCL) e no Instituto de Química (IQ). 

Esse projeto incrível é coordenado pela Professora Dra. Cíntia Duarte de Freitas Milagre, atual professora do Departamento de Bioquímica e Química Orgânica no Instituto de Química e conta com parceiros como: Cooperativa Acácia (cooperativa que realiza a coleta de materiais recicláveis em Araraquara) e a UNESP.

Além da conscientização e aplicação da separação dos resíduos sólidos na FCL e no IQ, o projeto atua em parceria com a Cooperativa Acácia, onde eles ensinam os cooperados a aumentarem a sua margem de lucro e identificarem os componentes de maior valor presente nos lixos eletrônicos. Além disso, eles trabalham com outros objetivos como:

  • Aumentar em 20% o material a ser destinado para a cooperativa;
  • Sensibilização da comunidade interna sobre as suas obrigações para melhorar a segregação dos resíduos gerados;
  • Promover os resultados obtidos com o projeto para incentivar e engajar a comunidade;
  • Disseminar a política dos 3Rs ( Reduzir, reutilizar e reciclar);

Além disso, a partir da semana do dia 29/11/2021 o projeto realizará a substituição das lixeiras presentes no IQ, será aplicado o sistema mais simples de separação de lixo (visto que é o mais eficiente para a Cooperativa). Esse sistema consiste na divisão do material em 2 classes: resíduo seco e resíduo molhado, no qual os secos são referentes aos recicláveis (papel, plástico, metal e vidro) e os molhados são referentes aos resíduos que pode ser direcionado para compostagem (resto de alimentos, resto de podas, verduras).

Idealizadores: O que te motiva?

A Química Jr entrou em contato com a Professora Cíntia e conversamos com ela sobre as motivações da realização do projeto:

“Este projeto me enche de orgulho porque sinto que estou contribuindo com o empoderamento social dos catadores que muitas vezes são “invisíveis” na nossa sociedade apesar de desempenharem um papel extremamente importante e com a preservação do meio-ambiente. O ponto que mais me motiva nesse projeto é trabalhar com uma equipe de jovens graduandos empolgados e que estão se tornando experts no assunto, aplicando todos os conhecimentos em sua vida e, principalmente, multiplicando este conhecimento para os seus círculos de alcance. Este investimento na formação dos nossos recursos humanos é a garantia de que estamos caminhando realmente na direção do desenvolvimento sustentável.”

A seguir temos o depoimento da aluna Laura Dias, que faz parte da equipe do projeto: 

“Como participante do Flores da Acácia, a grande motivação para participar do projeto foi o amplo interesse pela área ambiental e pelo impacto que a química tem nesse setor. Assim, o projeto me permitiu desde o começo avaliar a importância da gestão de resíduos sólidos dentro e fora de nossa comunidade através da realização de treinamentos internos sobre o consumo consciente, a geração de lixo, as ações com a cooperativa Acácia e as amplas discussões pautadas nestes temas. 

Outro ponto de grande interesse foi a atuação conjunta entre IQ e FCLAR, o que contribuiu com o envolvimento de alunos e professores de diferentes formações e também possibilitou que as atividades impactassem mais pessoas da comunidade Unesp Araraquara.

Agradeço imensamente pelo período que pude me dedicar ao projeto Flores da Acácia e espero que a temática de geração de resíduos esteja cada vez mais presente em nossa sociedade!”

Importância

Ao destinar corretamente os resíduos, há colaboração para a redução da poluição ambiental, evitando danos à natureza, como por exemplo, a contaminação do solo, poluição das águas e poluição urbana; minimizando as chances de proliferação de vetores e doenças, evitando epidemias ou até mesmo pandemias como a que estamos vivendo desde o começo do ano de 2020 (pandemia da COVID-19). O gerenciamento e destinação dos resíduos de forma assertiva contribui também para a diminuição dos gastos com a limpeza urbana, pois a partir do momento que estimula-se a consciência ambiental das pessoas, a cidade se mantém limpa e com descarte dos lixos em locais adequados.

Nos últimos anos, foi possível acompanhar a evolução da preocupação das pessoas com a preservação do meio ambiente, a preferência por empresas/marcas, produtos e ações que estão voltadas para maior sustentabilidade, aumentou consideravelmente. Logo, um projeto como o Flores de acácia traz a oportunidade da universidade e todos os membros envolvidos adquirirem conhecimento sobre a produção de resíduos sólidos e gerar uma gestão correta dos mesmos, impactando diretamente nas próximas gerações que terão a prática inserida em suas rotinas.

Além disso, o projeto contribui com alguns Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, sendo elas: 1,5,8,10,11,12,13 e 17.

Como seguir o exemplo?

Agora que sabemos da importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos e do aumento da preocupação com a sustentabilidade, você sabe o que pode fazer para seguir o exemplo do projeto Flores de Acácia?

Aqui vou listar alguns pontos para você seguir:

  • Primeiro passo é entender a importância de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS);
  • Depois você deve consultar a legislação para a sua empresa em relação ao PGRS;
  • Identifique os Resíduos gerados em cada setor;
  • Saiba a quantidade de cada resíduo gerado;
  • Coleta seletiva;
  • Escreva o PGRS;
  • Treine a sua equipe.

Tem uma maneira bem mais simples e é somente um passo a seguir :

  • Entrar em contato com a Química Jr

A Química Jr tem em seu portfólio o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, é um documento técnico que identifica a tipologia e a quantidade de cada tipo de resíduos sólidos gerado pelo seu empreendimento. Também constata metodologias ambientalmente corretas para tratar seus resíduos, trazendo recomendações sobre a correta separação, coleta, armazenamento, transporte, reciclagem, destinação e disposição final. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), é um documento técnico que identifica a tipologia e a quantidade de cada tipo de resíduos sólidos gerado pelo seu empreendimento. Também constata metodologias ambientalmente corretas para tratar seus resíduos, trazendo recomendações sobre a correta separação, coleta, armazenamento, transporte, reciclagem, destinação e disposição final.

A implementação do PGRS faz parte da documentação necessária do processo de licenciamento ambiental, regulamentado pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal nº 12.305/2010). Implementando um sistema de gestão de resíduos junto à Química Júnior, os benefícios para sua empresa serão inúmeros, podendo-se destacar:

  • Adequá-la perante ao órgão fiscalizador.
  • Valoração do resíduo gerado, mediante um estudo de aplicabilidade que determina a viabilidade de venda dos resíduos gerado em sua empresa a outras empresas que o utilize como matéria-prima.
  • Controle e prevenção dos impactos ambientais gerados pela destinação inadequada dos resíduos.
  • Aumento da organização do espaço, potencializada pelas indicações de melhor localização, armazenamento e periodicidade de coleta de determinados resíduos.
  • Melhora a visibilidade da empresa no mercado, vinculada diretamente ao Marketing verde, decorrente da boa gestão ambiental adotada.

Nós da Química Júnior gostaríamos de agradecer a Professora Cíntia Milagre, a aluna Laura Dias e toda a equipe do Projeto Flores da Acácia, Cooperativa Acácia, Instituto de Química e Faculdade de Ciência e Letras.